terça-feira, 29 de junho de 2010

Erro ou inadequação?

Costumo dizer aos meus alunos que determinados usos considerados tradicionalmente errados na educação formal, são apenas pequenas inadequações em determinadas situações, mas que podem ser adequadas em outras.

O povo é extremamente inteligente e preza pela economia vocabular e pela clareza na comunicação.

Por que "eu te amo" estaria errado, quando se usa junto o pronome "você"? Por exemplo: "Eu te amo. Você é a luz de minha vida."

Se o falante optasse pelo pronome oblíquo "o" ou "a", no lugar de "te", dependendo da entonação e até completar a frase, poderia gerar a dúvida no interlocutor: "ama quem?! A mim ou ao outro?"
Ao dizer, "eu te amo" não pode haver dúvida. Refere-se apenas à pessoa com que se fala. Por isso, os cariocas, que usam prioritariamente o pronome de segunda pessoa "você" para se dirigir ao interlocutor, associam esses pronomes (você, te) provindos de "famílias" distintas.

2 comentários:

só eu............ disse...

muito bem lembrado, tati.e como é difícil corrigir essa fala na hora da escrita! os alunos são práticos: esxrevem como falam e haja trabalho!
vera

Suely Aymone disse...

Oi, Tati!

E nós, gaúchos, especialmente os da fronteira,também misturamos o "tu" e o você"!

"Tu chegou cedo!", por exemplo.

"Tu", pronome da segunda pessoa que caracteriza nossa fala, acompanhado pelo verbo na terceira (do "você") provavelmente, pela influência da mídia, especialmente da TV!

Quando trazemos eesa discussão para sala de aula, os alunos dizem que "Tu chegaste" é muito "afetado", pedante...

Essa forma fica reservada à escrita... cada vez menos...

Beijos!