domingo, 8 de agosto de 2010

De renguear cusco!

    cusco (Este cusco, com certeza, não rengueia! Está pilchado para qualquer geada!)

(Imagem daqui!)

     Nestas paragens brasileiras, temos vivido dias de inverno rigoroso.

     Tá um frio de renguear cusco! Como gostamos de dizer.

     Sobre essa expressão trago fragmentos do texto (para ler o texto na íntegra tem que se cadastrar!) do jornalista Luiz Antônio Araújo, publicado no jornal Zero Hora, do dia 24 de julho de 2010:

(…) Quem consultar o bom Google – ia escrevendo “o velho e bom Google”, mas me dou conta de que, aos 12 anos, ele ainda não merece o primeiro adjetivo – descobrirá que, em linguajar gauchesco, “cusco” é cachorro pequeno e “renguear” é mancar. Quanto à expressão “frio de renguear cusco”, aparece traduzida como “frio que faz um cachorro tremer e mancar”.

     Em seguida, o esclarecimento científico:

Ligo para o Hospital Veterinário da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. O vice-diretor, Carlos Afonso Beck, explica:
– Alpinistas às vezes sofrem perda de orelhas ou de dedos sob temperaturas de dois dígitos abaixo de zero. Isso se deve à vasoconstrição (estreitamento dos vasos sanguíneos em razão do frio). Animais também podem ser vítimas desse fenômeno. Um cachorro pode, por exemplo, mancar depois de passar uma noite gelada num galpão ou ao relento.

     Para driblar o frio, nos resta o mate*!

******************************************************************************

     Em tempo: nunca vi um cusco rengueando por causa do frio! :(

     *Parece que, na metade sul do estado, usamos mais a palavra mate no lugar de chimarrão – influência de los hermanos!

2 comentários:

só eu............ disse...

Eta gaucha arretada, sô!
Muito bom, suely!
bjs
vera

só eu............ disse...

oi, suely.ontem meu genro chegou e eu lhe fiz a pergunta:este frio está de arrenguear cusco? e ele me respondeu no ato!!!!! também.... foi criado em ijuí!